create counter

 Procurando um hotel? Clique aqui, faça a sua reserva e apoie o Bailandesa.nl. 

Em busca de um cabeleireiro na Holanda

27

Cabeleireiro na Holanda não falta, mas nunca encontrei um pra chamar de meu. São sete anos de busca incessante. A cada dois, três meses revivo o drama de vasculhar a internet à busca de um cabeleireiro que seja bom e perto de casa. É, a minha vaidade não é grande o suficiente pra me fazer pegar um trem só pra cortar o cabelo.

Essa saga em busca de um cabeleireiro na Holanda já me rendeu boas histórias. Conto apenas duas aqui:

A simpática que não saber fazer escova

Um amiga holandesa me indicou um salão que, por sinal, era bem recomendado em alguns fóruns que li na internet. Já falei, né? Acho que já cliquei em quase todos os links sobre cabeleireiros na Holanda.

Bailandesa - Holanda

Cheia de esperança, peguei minha possante e pedalei pelos canais de Utrecht até o dito endereço.Chegando lá, a cabeleireira super simpática e relax, me acomodou na cadeira, discutimos sobre as minhas madeixas e depois de devidamente lavadas, começou a cortar. A conversa fluía, enquanto os cachos caíam no chão. Ele tinha ido ao Brasil e se apaixonou pelo país. Pacientemente foi cortando o cabelo e ouvindo e atendendo os meus pedidos. Até que chegou a hora de finalizar.

Ela vira pra mim e diz: olha, sou péssima pra fazer escova. Aqui, só recebo clientes com os cabelos lisos ou outras que querem muitos cachos. Moral da história: gostei do corte e finalizamos de forma meio improvisada. Agora a dúvida: fico com a simpática cabeleireira que não sabe fazer escova? Não fiquei.

Conheço você de algum lugar

Dois meses mais tarde, numa tarde de TPM no trabalho, decido: é hoje! Vou cortar o cabelo. Lembrei de um salão onde já tinha ido. O corte não tinha sido excepcional, mas também nenhum desastre.

Quem me recebe é um simpático cabeleireiro que tinha certeza que conhecia de algum lugar. Me acomodo na cadeira para lavar os cabelos, me sentindo praticamente no colo da mamãe. Cansada após uma semana de trabalho, sinto a água morna e a massagem no couro cabeludo. Estava no céu.

Até que ouço uma voz:

– Agora sei de onde lhe conheço! Do bicicletário!

Caio das nuvens e tento me acalmar: “ Mantenha a calma, mantenha a calma e não aperte o botão de ejetar”

Em fração de segundos, uma cena volta a passar na tela da minha cabeça

Estava no bicicletário discutindo com um rapaz por não estar satisfeita com o conserto da lâmpada dianteira da possante. Deixei a bicicleta e quando voltei no final do dia, a lâmpada tinha sido arrancada. Fiquei encafifada com a história e nunca mais voltei lá.

Lhe dou um stroopwafel se você adivinhar com quem foi a discussão? Sim, com o cabeleireiro.

Volto ao presente e tentando demonstrar certa naturalidade penso duas coisas: “ Tomara que ele seja melhor cabeleireiro do que mecânico de bicicleta” ou “É hoje que ele vai se vingar de mim”. Pergunto, tentando manter o ar blasé a todo custo:

– Mas aqui é bem melhor de trabalhar, não é?

Ele responde:

-Sim! Essa é a minha profissão. Só fiquei temporariamente por lá

Aliviada digo apenas pra mim mesma “Ufa, ele não teve uma carreira meteórica de empregado do bicicletário a cabeleireiro em um ano. Tenho chance de sair ainda com cabelos na cabeça.”

Quer saber o resultado? O melhor corte que já tive na Holanda até momento. A finalização não foi ao estilo brasileiro, mas saí com uns cachos de dar inveja a muito holandês.

Bailandesa Holanda

Estamos tão acostumados com a estrutura social quase de castas no Brasil que, apesar dos sete anos na Holanda, a ideia de um emprego temporário aquém das suas habilidades de alguma forma ainda soa estranho. O preconceito não me fez enxergar a possibilidade dele ser um cabeleireiro que trabalhava temporariamente no bicicletário. Pois bem, mais uma lição da vida de imigrante.

E você já passou por situação semelhante? Ou por acaso tem um cabeleireiro pra me indicar? Só pra não perder o costume.

Atenção: as fotos são meramente ilustrativas e não refletem o corte atual.

Share.

27 Comentários

  1. Eu fazia luzes há uns 5 anos no Brasil e, ao me mudar pra Holanda, tive a ingênua esperança de continuar com o mesmo estilo de cabelo por aqui. Como não tenho nenhuma referência, fui no salão que meu marido vai, um chiquetozinho na vila onde moram os sogros. Pedi pro meu marido marcar um horário pra retocar a raiz e cortar, mas ele conseguiu traduzir isso, sei lá como, que eu só queria fazer luzes no topo da cabeça… pelo menos é o que aconteceu no dia em que fui fazer as luzes, a cabelereira só cuidou dos cabelo acima da linha da orelha, afirmou que foi isso o tratado com meu marido, mas se eu ‘insistia’ tanto, ela podia fazer umas mechas no resto do meu cabelo, mas pra não me estressar muito porque todo mundo tem mesmo o cabelo mais escuro próximo à raiz.
    Com a cor amarelo-ovo que ela acabou deixando as novas mechas, o resultado é que saí de lá uns 120 euros mais pobre, um cabelo com 3 cores diferentes e um coração partido por perceber que era melhor eu aprender a cuidar do meu cabelo eu mesma…

    • Oi Sheila,

      Qe história! Acho realmente difícil encontrar um que lhe agrade e que entenda do seu tipo de cabelo. E agora, como você faz? Faz em casa?

      Volte mais vezes!

      • Me diz qual a cidade q vc morar e viro sua cliente, tenho o mesmo problema com cabelereiro aqui, o meu é comprido as vezes eles perguntam se ñ é mais pratico cortar. Ai da raiva pq curto ñ preciso de cabelereiro

  2. Ai fiquei feliz de ler a sua historia! A 4 anos q tambem ando nesta luta!! E ele, será seu cabelereiro agora fixo?? Se sim , pode me passar o contato rsrsrsrs moro tb em Utrecht 🙂

    • Oi Priscyla, vou esperar mais um pouco e ver como o cabelo “assenta” pra chamar ele de meu cabeleireiro. Se ficar bom, te passo!
      Obrigada por visitar o blog e por comentar.

  3. Decidi voltar à minha cor natural, que fica mais ou menos entre loiro escuro e castanho. Compro shampoos tonalizantes, assisto filmes no youtube mostrando as dicas de como colorir o próprio cabelo e mando ver. O corte no tal salão até que não ficou muito ruim, então vou continuar cortando lá por enquanto. Desde que cheguei na Holanda já tive que aprender a fazer minhas próprias unhas (quando faço), me depilar e pintar o cabelo, sem contar que me obriguei a aprender como fazer coxinha, tô tentando aprender a fazer massa de pastel e invento uma pizza de chocolate em casa quando bate a vontade. Nada como virar imigrante pra aprender novos talentos!
    Abraços!!

    • Oi Sheila, pois é, aqui a gente aprende a se virar, não é mesmo?! E como a gente descobre novos talentos que nunca imaginou ter.

      Obrigada por visitar o blog e por comentar!

  4. è verdade, para muitos terráqueos cortar o cabelo sempre rende bons “causos”. Mas o que eu, um desprovido, poderei contar sobre isto?
    Bem, o meu rosto ficou maior para lavar todas às manhãs e ao final do dia, mas uma toalha de rosto ainda dá conta… Quero dizer, a do banho ainda é só para banhos.
    Fazem séculos que não tenho preocupações com cabelos, e acredite, é muito bom. O que significa que jamais terei que procurar por bons cabeleireiros. kkkk 🙂

  5. Em Utrecht procurei o salão de uma brasileira que me indicaram e não encontrei. Acabei cortando com uma cabeleireira que corta em casa, o corte não ficou nem ruim nem bom. Mas um tenho um “causo” pra contar, nesse mesmo dia resolvi tingir o cabelo, a cabeleireira não tinha tinta e queria marcar para outro dia então desisti. Resolvi fazer eu mesma e o resultado foi que acabei pintando meu rosto e pescoço, entrei em desespero e por fim fui em lojas de cosméticos para comprar removedor de tintas e fiquei surpresa ao descobrir que eles não tem esses removedores igual temos no Brasil. O que eles vendem são lenços umedecidos que não removem nada. Moral do “causo” no outro dia eu tinha uma festa e removi as manchas com cinza de cigarro, sei que é jurássico mas era o que tinha e resolveu!

  6. Olá! Vc teria a indicação de cabelereiros em Utrecht? Vi uma indicação de um brasileiro em Amsterdam, mas estou bem mais perto de Utrchet e facilitaria a vida. Vc tem ideia do preço? Seria apenas para corte. Obrigada!!

  7. Bem que o meu amigo holandês disse que não gosta que eu faça escova, pois os meus cachos são muito mais exóticos e bonitos. Agora eu acredito no poder das ondas, rs

  8. ana paula ossuna ferlin on

    Olá!
    Achei seu site por acaso, estou indo morar com minha irmã que já está na Holanda a 12 anos, sou cabeleireira e ri muito nesse post. Toda vez que eu vou de férias a mulherada fica doida querendo ajeitar as madeixas. A 12 anos minha irmã está lá e não encontrou um cabeleireiro que corte o cabelo legal até hoje. rs

    • Olá Ana Paula,
      Realmente é um desafio. Encontrei uma cabeleireira aqui em Utrecht que esotu satisfetia no momento. Ela não brasileira, mas é turca.
      Obrigada pela visita e volte sempre!

      • Julio Cesar on

        Olá, bailandesa e Ana Paula! Td bem?
        Parabens pelo blog! 😉

        Moro no RJ e estou me organizando pra ir pra Netherlands em breve. Estarei aí em setembro próximo pra conversar com alguns contatos q venho fazendo nos útimos meses.

        Vc saberia me dizer se há algum impedimento ou alguma questao q eu devesse me precaver antes de arrumar um trab ? Digo em termos de aluguel de apto, ou coisas do genero.
        Penso que se eu firmar um contrato de fato, preciso alugar um ape.. e sei q isso as vezes implica em outras coisas, tais como o fato do locatário querer ver o contra-cheque, ou coisas do tipo..

        Enfim, nao sei se ficou claro mas seria isso.. rs
        Bjs e obrigado

        • Oi Julio Cesar, até onde sei, o seu empregador deve fazer o seu pedido de visto no IND. Com a sua situação regularizada, você então alugará o seu apartamento.

          Boa sorte e obrigada pela visita!

  9. Elaine Frutdo on

    Sou cabeleireira no Brasil, cheguei aqui a 8 meses, já fui a varios salões, ainda não encontrei o “meu cabeleireiro(a)”. Aqui é muito dificil fazer uma modelagem ao estilo brasileiro! Lá sou a queridinha muitas clientes! A relacão das mulheres no Brasil com seus cabeleireiros(a) é muito especial! Somos verdadeiras estrelas!rs… É muito bom trabalhar com a alto estima das pessoas, deixa-las felizes! Aind mantenho minha empresa no Brasil, vou a cada dois meses, fico duas semanas, agenda sempre lotada! Adoro minha profissão. Me casei aqui na Holanda. Tive que ir de cabelo lavado e quase pronto para ser penteado no dia do meu casamento. Me vesti em um deposito que a cabeleireira mantem eu seu espaco! Não me importei, estava focada em outras coisas. Mas fiquei imaginando; no Brasil as noivas tem um dia todo para elas, com muito cuidado, com muito carinho e muita mordomia! Estou pensando em abrir um espaco para noivas aqui! Gosto muito de quimica também, reflexo, coloracão, tratamentos.

    • Oi Eliane, realmente aqui é muito diferente! Terminei encontrando uma cabeleireira aqui, mas também mudei muito a minha relação com os cabelos. 🙂

      Desejo ainda mais sucesso na sua carreira.Obrigada por visitar o Bailandesa. Volte sempre!

    • Ola me chamo marcia rocha estou a procura de trabalho como cabeleireira, sei faser pes e maos sobrancelhas Depilação sou uma polivalente no ramo no momento moro em lisbia e queria mt ter a oportunidade de mudança blnh aguardo resposta 962594583

  10. M.SOCORRO S.PINTO on

    ESTOU VIAJANDO 15/04/2017 PARA HOLANDA SOU CABELEREIRA E GOSTARIA DE FAZER UM ESTÁGIO NO SALÃO, ALGUÉM P. ME AJUDA ME INDICAR UM ?….. OBRIGADO! obs. SO VOU PERMANECER 2 MESSES AI

  11. Jussara C Rabelo on

    Jesus! Entrei na esperança de achar um “encontrei um ótimo”! hahahaha

    Estou ainda no processo pra tirar o MVV, na verdade pra fazer o exame… Mas tá na hora de refazer a raiz dos meus cabelos e minha mãe me lembrou: “Se você vai mudar pra Holanda, não acha que seria melhor começar a assumir seu cabelo? Deixar crescer ao invés de retocar a raíz?”. Confesso que deu uma dor no peito! ahhahahah

    Vou pra Montfort, já perguntei ao meu namorado (holandês) que me respondeu que fazem por lá pq ele vê “um monte de mulher entrando cacheada e saindo lisa”… só que o meu cabelo não é cacheado, nem sei explicar como ele é! Se não me bastasse todo esse processo do MVV, mais essa agora… *quase chorando*

Leave A Reply