create counter

Mont Saint-Michel. Um guia completo para sua viagem

15

O Mont Saint-Michel é uma visão idílica: uma vila medieval incrustada num monte que flutua etéreamente numa imensa baía. Sim, só vê-lo de longe já vale a viagem, mas estando tão pertinho, por que você não iria perder a chance de entrar na chamada “Maravilha do Ocidente”?

Mont Saint-Michel - © Bailandesa.nl

 

Dentro do Mont Saint-Michel

Depois de passar pela movimentada Grande Rue, cheia de lojinhas de souvenirs e restaurantes, você chega à  Grand Degré, uma escadaria com 350 degraus e explorava os três níveis da abadia.

Mont Saint-Michel - © Bailandesa.nl

À medida que você vai subindo, o número de pessoas a sua volta vai dimuindo e uma sensação de paz e deslumbramento lhe invade. A admiração diante de uma construção tão antiga e tão perfeita, num lugar tão inóspito é inevitável.

Mont Saint-Michel - © Bailandesa.nl

A Igreja

A Igreja da Abadia reúne diferentes estilos e é surpreendentemente harmoniosa. A nave no estilo romanesco convive com um altar gótico flamboyant belíssimo que só chegou três séculos depois.

Mont Saint-Michel - © Bailandesa.nl

O claustro

O claustro é um jardim estonteante rodeado de colunas e arcadas. Você vai ver que o lugar de meditação dos monges beneditinos parece realmente estar a dois passos do paraíso.

Mont Saint-Michel - © Bailandesa.nl

Interessante que apesar de tantas colunas, existe uma transparência que lhe permite visualizar a tranquilidade do ambiente.

Mont Saint-Michel - © Bailandesa.nl

O refeitório dos monges

Um dos salões mais impressionantes é o refeitório. Um ambiente luminoso. Dá pra imaginar os monges comendo em silêncio, enquanto ouviam os sermões religiosos. Preste atenção ao teto de maneira e aos vitrais “invisíveis”. Só dá pra vê-los de um determinado ângulo.

Mont Saint-Michel - © Bailandesa.nl

Salão de hóspedes

Aqui peregrinos e nobres eram recebidos. Se você conseguir tirar os olhos do teto e suas incríves abóbadas, dê uma olhada na lareira dupla.

Mont Saint-Michel - © Bailandesa.nl

Salão dos Cavaleiros (Scriptorium)

Um dos pontos altos da visita. Este era  lugar onde os monges copiavam os seus manuscritos. As colunas são incríveis e dizem que os monges penduravam tapetes entre as colunas e criavam ambiente de trabalho únicos.

Mont Saint-Michel - © Bailandesa.nl

A baía e a maré do Mont Saint-Michel

A baía por si só é uma atração a parte. Lá de cima, você vai se impressionar com a vastidão e se se programar, quem sabe não assiste o espetáculo das maré?

Mont Saint-Michel - © Bailandesa.nl

O Mont Saint-Michel torna-se uma ilhota durante a maré alta. E atenção, isso pode ser perigoso. A maré realmente galopa e a diferença entre a a cheia e a baixa pode chegar a 15 metros.

Mont Saint-Michel - © Bailandesa.nl

 

Depois de muitos afogamentos de peregrinos e soldados, ficou conhecido como o “monte do perigo do mar”. Não é preciso dizer que não dá pra se arriscar a cruzar a baía sozinho, sem nenhum guia e sem nenhum conhecimento do horário das marés. Confira os horários no site  , clicando em “times of the tides”.

Mont Saint-Michel - © Bailandesa.nl

Existem alguns tours guiados que fazem a travessia na maré baixa, que podem dar um pitada de aventura à sua visita com toda a segurança.

A história

O que você pode esperar de um lugar que foi construído a pedido de um Arcanjo? Pois é, diz a lenda que o São Miguel Arcanjo pediu ao Bispo de Avranches, Aubert e ele ergueu uma pequena igreja no local no ano de 708. No topo da abadia, há uma estátua do São Miguel Arcanjo matando o dragão, que simboliza o Mal. Só pra lembrar: Saint Michel é São Miguel em francês.

Mont Saint-Michel - © Bailandesa.nl

Um grupo de Beneditinos mudou-se para o lá e, no século XI, construíram a Abadia. A vila foi crescendo com o passar do tempo e o local se tornou um importante de peregrinação e um complexo militar na Guerra dos Cem anos. O último lugar que resistiu aos ingleses durante o conflito –  as marés tiveram um papel relevante nessa história.

Mont Saint-Michel - © Bailandesa.nl

Durante a Revolução Francesa, o Mont Saint-Michel perdeu o seu contexto religioso e se tornou uma prisão até 1863. Ainda no Século XIX, transformou-se um monumento histórico.

Mont Saint-Michel - © Bailandesa.nl

Em 1966 o local foi simbolicamente devolvido aos Beniditinos e em 1979 foi declarado como Patrimônio da Humanidade pela Unesco.

Mont Saint-Michel - © Bailandesa.nl

Vale a viagem?

Sim! Resista a tentação de torcer o nariz por ser um local muito turístico. Se é tão popular deve ter alguma razão. É uma construção inacreditavelmente bela, cheia de história e imperdível. Uma dica importante:  evite a alta temporada de julho e agosto e mergulhe nessa viagem ao passado.

Mont Saint-Michel - © Bailandesa.nl

Se você já foi, adoraria ouvir a sua experiência. Tem alguma dica pra nos dar?

Informações Práticas

Como chegar

Cheguei ao Mont Saint-Michel de carro e foi um perfeito final de maravilhosa viagem pela Bretanha, mas você pode ir de outras maneiras:

De trem: O caminho com menos baldeação é pegar um trem na estação Paris Mont Parnasse para Dol de Breatgane (2h40m) e depois pegar um ônibus direto para Saint Michel
De ônibus:  Você pode pegar um ônibus de Rennes ou Dol de Bretagne para o Mont Saint-Michel.

Estacionamento: Foi de carro? No passado as pessoas podiam estacionar o carro bem pertinho do Mont Sint-Michel emuitos carros já foram “afogados”pelas maré. Desde 2012, foi criado um novo estacionamento, que fica a 2,5 km de distância do Mont Saint-Michel. De lá você pega um ônibus gratuito (incluído no preço do estacionamento), que te leva até a porta do local. Confesso que achei a distânica de 800 metros entre o estacionamento e os pontos de ônibus considerável.

Onde ficar

Vi algumas pessoas chegando com suas malas de rodinhas, desembarcando do shuttle bus e pensei: deve ser um sonho ficar pelo menos uma noite nesse lugar quase irreal. Pergunta: será que o preço justifica? Não tenho essa resposta.
Como estava de carro, fiquei numa cidade próxima e não me arrependi. Não vão faltar opções para todos os gostos e bolsos nos arredores.

Onde comer

Comi um crepe pra lá de caro por lá. Só porque estava morta de fome. Caso seu caso seja o mesmo, você pode provar uma dessas delícias da região da Normandia ou a versão Bretã da iguaria. Se quiser muito provar algo típico, tente os omeletes da Madame Poulard.

Com o novo estacionamento, perto do local onde saem os ônibus para o Mont Saint-Michel, existem agora diversos restaurantes/fast food, muitos de cadeias internacionais conhecidas. Caso, o desespero ataque pode ser uma opção.

Preços

Você pode explorar o Mont Saint-Michel com um tour guiado (incluído no seu ingresso) ou pegar um folheto gratuito e fazer meu próprio caminho ao paraíso. Você ainda tem a opção de um Guia em Áudio, que custa 4 euros.

Preços em Fevereiro 2013

  • Maiores de 25 anos: €  9
  • Não Europeus 18-25 anos:  € 5,50
  • Pessoas menores de 26 anos  e cidadãos da União Europeia ou residentes na França: Gratis

Há mais 4 museus a serem visitados, mas os ingressos não estão incluídos na entrada geral. Não me senti muito encorajada a fazer uma visita. Confira os preços no site

Share.

About Author

15 Comentários

  1. Fui em Agosto passado ao Mont Saint-Michel. É lindo, aquela visão ao longe, de um local que ouvimos falar desde sempre é mesmo indescritível. No interior gostei das ruas apertadas que temos que subir até à igreja e no seu interior do claustro e da vista que se tem para o exterior. Muito bonito mesmo.
    bjs

    • Isabel Carvalho on

      Adoro, sempre que vou ao monte Saint Michel.
      O único senão é o estacionamento. Sou guia, e com grupos é muito complicado. Os autocarros têm que ficar muito longe, e a pé, esses 2 kms, fica difícil para a maior parte dos turistas.

      É pena as navettes não serem mais próximas do estacionamento.

  2. Estive lá em novembro de 2009 e fiz uma visita guiada, o que ajuda muito a entender cada um dos contínuos da abadia. Fiquei encantada com a construção e sua história, com a vista (que é mesmo deslumbrante)! Isso sem falar na viagem, de Paris até lá, que é linda e uma delícia!
    A quem for, não se esqueça de passear pelas lojinhas e comer algo no La Mere Poulard (que estava cheio, cheio durante todo o tempo em que estive por lá).
    Ótimo dica, vale muito, muito a pena! Beijo!

  3. Alessandra Braga on

    Olá, estou indo para Paris em junho próximo. Pretendo conhecer o Mont Sant Michel com a minha família (5 pessoas). Penso em alugar um carro para ficar mais econômico. Vc acha que é muito complicado sem guia?

    • Olá Alessandra, se você planejar direitinho não tem problema. Alugue um carro com GPS e pesquise antes. É sempre bom saber a distância, onde abastecer etc..Alémf icar atento à legislação do trânsito do país.
      Boa viagem

  4. Maria Aparecida on

    Olá tudo bem? Muito bom o seu post. Vi que você visitou o Mont em Fevereiro. Estou indo pra lá também nessa época, neste ano, dia 25 de fevereiro. Você poderia me dizer como costuma estar a temperatura lá nesta época do ano.

    • Oi Maria Aparecida, o tempo nessa região em fevereiro é frio, pois é inverno na Europa. Você pode pegar temperaturas em torno de 2- 7 C.
      Espero que tenha aproveitado a viagem!

Leave A Reply