create counter

Quem espera até doer a poupança, alcança

1

Porque “Deus é pai e não é padastro”, “a esperança é a última que morre” e “não há mal que sempre dure, nem bem que nunca se ature”, na 6a feira, no final do dia, me entra Ron com a correspondência debaixo do braço e adivinhem o que ele trazia?? Sim, sim, sim! Uma carta do IND (Ministério da Imigração). É meu povo, Mevrouw Verdonk teve misericórdia e liberou o visto desta bailandesa aqui. Depois de 3 meses e 9 dias de espera, recebo a confirmação do meu verblijfsvergunning. Mas, como “de onde menos se espera é que não vem nada mesmo”, esta carta ainda não é o visto definitivo. Eles irão me ligar em 1 ou 2 semanas para que eu possa pegar aqui na prefeitura (Gemeente) o número definitivo e receber um novo selo no passaporte. Daí, de posse deste número posso exercer a minha cidadania bailandesa, trabalhar, ter conta e etc. Depois de pegar o visto ainda vão marcar uma entrevista para definir onde farei o curso de integração (Inburgering). Neste curso aprenderei além da língua, história, cultura e hábitos holandeses. Mas sabe-se lá como funciona isso. Demos uma olhada nas peguntas do teste de integração de 2005 e Ron, que é holandês até a última fatia do queijo, não sabia responder muitas das perguntas. Estes são alguns exemplos do tipo de questão da prova:

1) Se você faz um fritura em casa e quer se livrar da gordura, você:

a) Jogo no vaso sanitário

b) Joga na pia

c) Usa produtos químicos

2) Sua amiga vai casar, você não foi convidada e mesmo assim quer fazer algo. Você pode:

a) Enviar um presente

b) Enviar um cartão

c) Telefonar

Incrível, não?! E por aí vai……. Desejem-me sorte!

Curtinhas do final de semana:

No sábado, gastamos mais um dia procurando armários. Até que encontramos alguns interessantes, mas no final, depois de exaustivos cálculos, medidas e simulações em casa, decidimos não comprar o armário da cozinha. Vamos reorganizar os armários que já existem e colocar algumas prateleiras. A nossa cozinha vai ficar mais apertada do que quitinete se colocarmos mais um lá. Não, não se assustem com a foto. Não era nossa intenção comprar esta cadeirinha….

No domingo fomos a Leiden, cidade que fica a 45 minutos de carro daqui, assistir a banda Lean on me. Foi divertido ver muitos amigos de Ron tocando, mas a platéia estava concorrendo com a banda em termos de entretenimento. Gente muito estranha, num bar super legal. Umas criaturas que não fariam feio à noite nas ruas de Copacabana saracutiavam no salão. Sinceramente, acho que assim como existe uma lei que proibe venda de bebida alcóolica a menores, deveria existir uma que proibisse a venda de minisaias a senhoras depois de certa idade. Um show de horror!

Depois do(s) show(s) , como ando com muita saudade do mar, Ron me levou para ver o por do sol na praia. Digam se não estou adequadamente vestida para o local?

Share.

1 comentário

  1. Oi Linda…

    Parabéns pelo seu númro de identificação (rsss), agora vai começar a sua vida “real”, que espero seja trilhada com muito sucesso, pois sei que vontade e fé não irão faltar a essa baiana.

    Agora fala sério!!! Isso é praia que dá prazer??!!!

    Beijocas.

Leave A Reply